O Poder do Soul – Zaire 74

O ano era 1974 e o lugar era o Zaire ( hoje República Democrática do Congo ) governado na época pelo ditador Mobutu, que conduzia uma guerra fria totalmente apoiado pelos Estados Unidos.

Em meio a crise causada pela guerra e com a popularidade em baixa, Mobutu precisava mostrar para a população africana que o Zaire era um lugar bom de se viver, e que apesar de tudo exisita trabalho, cultura e diversão.

Com a influência americana no poder e com a ajuda do empresário Don King, surgiu a idéia de levar ao Zaire  a “luta do século” entre Muhammad Ali e George Foreman que também ficou conhecida como “Rumble in the Jungle”, e além do combate um grande festival de música negra com os maiores artistas do gênero nos EUA e na África. E nesse clima de “retorno dos afro-americanos a mãe África”, foram escalados: The Spinners, B.B. King (ainda jovem e solteirão), Célia Cruz e Fania All-Stars, Bill Whitters, Afrisa e Tabu Ley, Miriam Makeba, The Crusaders, Ok Jazz, James Brown no auge da sua carreira, e mais trinta e uma atrações.

Com o anúncio do evento e com a chegada dos artistas ao continente, ninguém mais lembrava da guerra fria que estava rolando, mas Mobutu deu um jeito de ser lembrado pelo povo e também pelos organizadores do evento quando anunciou que cederia somente o estádio para o festival, e toda a infraestrutura teria que ser providenciada pelos empresários e organizadores.
garlandlyn2kzaire74
Com milhares de dólares gastos em divulgação, contratos assinados com artistas e patrocinadores, a organização do evento não poderia recuar e foi obrigada tornar o festival realidade mesmo com todas as adversidades.
E essa correria nos bastidores para a realização do festival musical é o tema central do documentário de Jeffrey Levy-Hinte intitulado “Soul Power” de 2009 (O poder do Soul – no Brasil).

Veja o trailer:

Big Black:

Célia Cruz – Passagem de som:



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.